Serviços de educação e responsabilização para homens autores de violência contra mulheres

Os elevados índices de violência contra as mulheres têm exigido de governos e da sociedade civil soluções inovadoras, efetivas e mensuráveis de superação deste incômodo quadro. Hoje em dia, acertadamente, já não atendem as expectativas sociais respostas surdas como pagamento de multas, cestas básicas ou mesmo a privação de liberdade para os casos de violência doméstica; nos dias atuais são exigidas medidas responsabilizantes, dialogais e pedagógicas, capazes de produzir conforto às partes diretamente envolvidas e, complementarmente, à coletividade onde o episódio esta inserido.

No Brasil a Lei Maria da Penha redesenhou a participação do Estado na questão, estabelecendo novos paradigmas para as políticas públicas na área do enfrentamento da violência contra a mulher, e coloca ao Sistema de Justiça o desafio de se estruturar para responder a esta exigente demanda social.

Neste contexto é que desponta como assunto dos mais relevantes o trabalho com homens autores de violência, que através dos diferentes modelos de abordagem buscam dar uma resposta pedagógica, concreta e transformadora visando alterar o espiral da violência contra a mulher no Brasil.

LEIA NA ÍNTEGRA