Nem bala, nem fome, nem covid: o povo negro quer viver!

A luta de hoje também é a luta de ontem: o dia 13 de maio é uma data de reconquista das memórias protagonizadas pelo povo negro!

São constantes os apagamentos da história da população negra com objetivo de estabelecer um consenso mudo e apagar ou minimizar seu ativismo frente aos movimentos de violência institucionalizada pelo Estado brasileiro. Diante disso, é preciso fazer reconhecer que, da abolição da máquina escravista até um passado recente de resistência à ditadura militar, a intensa articulação e mobilização de sujeitos negros em oposição ao terror foi decisiva para manter sua existência.

Nos tempos atuais, a luta reivindica justiça às vítimas do massacre na favela do Jacarezinho e das operações policiais que produzem a morte de pessoas negras por todo o Brasil. A articulação de hoje exige “nem bala, nem fome, nem Covid. O povo negro quer viver!”

O ISER acredita que a justiça social e o fortalecimento da democracia só serão possíveis com a preservação da memória e a justiça para as vítimas de violência, em um processo que garanta escuta e apoio. Por isso, é importante reafirmar o 13 de maio como Dia Nacional de Denúncia Contra o Racismo e como data  de luta da população negra.

Confira a agenda completa no Instagram da Coalizão Negra Por Direitos

 

 

 

Publicado em: 12/05/2021 - #ISER apoia