O ministro terrivelmente evangélico

Em análise para a plataforma Religião e Poder, o pesquisador visitante do ISER, João Luiz Moura, comentou a indicação de André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal (STF) pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo ele, a notícia “sinaliza a concretização da presença de evangélicos fortemente conservadores na mais alta corte do país”.

Mendonça é pastor na Igreja Presbiteriana Esperança, em Brasília, foi conferencista no VII Congresso Internacional da Associação de Juristas Evangélicos (Anajure) e tem grande interlocução com os “evangélicos históricos”, como são chamados os batistas, presbiterianos e metodistas.

No artigo, João Luiz destaca que, em uma demonstração de grande lealdade ao presidente, por diversas vezes, o indicado à cadeira no STF acionou a Polícia Federal para investigar opositores de Bolsonaro, com base na Lei de Segurança Nacional.

Leia aqui

Publicado em: 15/07/2021 - #Artigos