Encontro evangélico na África do Sul

Clemir Fernandes

é pesquisador do Iser, que participou do referido congresso.

Em julho de 1974 aconteceu na cidade suíça de Lausanne um congresso cristão que foi classificado pela revista Time como a terceira grande força do cristianismo mundial até então pouco conhecida. Nem eram católicos do Vaticano nem protestantes ligados ao Conselho Mundial de Igrejas, mas evangélicos e com uma capacidade de mobilização que impressionou não somente a imprensa do mundo anglo-saxão, mas outros segmentos sociais como governantes e pesquisadores diversos.

O congresso reuniu cerca de 2.700 lideres evangélicos de 150 nações do mundo convocados por Billy Grahan, o destacado pastor batista que é conhecido também por fazer oração especial na cerimônia de posse dos presidentes norte-americanos, desde Jimmy Carter.

O segundo Congresso Lausanne ocorreu na capital das Filipinas, Manila, em 1989, quatro meses antes da queda do Muro de Berlim, com a participação de mais de 3 mil pessoas de 170 países do mundo, enfocando temas pertinentes ao contexto de então, inclusive da guerra fria.

Agora em outubro de 2010 realizou-se durante dez dias o terceiro Congresso Lausanne, em Cape Town, África do Sul, e reuniu 4.500 pessoas de 198 nações, inclusive observadores católicos e protestantes ortodoxos. Dentre vários assuntos abordados, muitos de interesse específicos dos religiosos, destaca-se temas mais abrangentes como ações específicas de combate a pobreza, o cuidado e a defesa do meio-ambiente, a luta por reconciliação e paz entre povos em conflito e mobilizações e projetos na defesa de populações que sofrem em decorrência da AIDS.

Ao final do encontro compromissos e parcerias foram firmadas visando o bem comum no contexto de um mundo que carece de reconciliação, justiça e paz.

Publicado em: 01/11/2010 - #Artigos